Bolsa Família: Veja Quem Terá Direito às Parcelas de R$ 900 e R$ 750 em Agosto

 

- PUBLICIDADE -

Em um esforço para fortalecer seu compromisso com a mitigação da pobreza e a promoção do bem-estar das famílias brasileiras em situação de vulnerabilidade, o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social (MDS) anunciou recentemente a ampliação dos benefícios adicionais do Bolsa Família. Essa iniciativa visa proporcionar um suporte financeiro mais substancial para as famílias que dependem desse programa como uma rede de segurança econômica.

A nova medida se concentra em dois programas-chave que complementam a parcela regular do Bolsa Família: o Benefício Primeira Infância e o Benefício Variável Familiar. Ambos os programas têm o potencial de aumentar significativamente o montante total repassado às famílias beneficiárias, oferecendo um alívio bem-vindo em meio aos desafios econômicos enfrentados pelo país.

- PUBLICIDADE -

O Benefício Primeira Infância tem como alvo as crianças de 0 a 6 anos completos. Cada criança que se enquadra nesse grupo etário recebe um repasse adicional de R$ 150. O aspecto notável desse programa é sua flexibilidade, pois não impõe um limite para o número de crianças elegíveis por família. Isso significa que famílias com múltiplas crianças dentro dessa faixa etária podem acumular repasses, elevando a parcela total do Bolsa Família de maneira considerável.

Por exemplo, consideremos uma família que já recebe a parcela regular de R$ 600 e possui uma criança que se encaixa nos critérios do Benefício Primeira Infância. Com a inclusão desse adicional, a família pode contar com um repasse mensal de R$ 750. Se houver duas crianças atendendo aos requisitos do programa, o repasse mensal pode aumentar para R$ 900, proporcionando um impulso financeiro significativo para a família.

- PUBLICIDADE -

Além do Benefício Primeira Infância, o programa também oferece o Benefício Variável Familiar. Este oferece um repasse de R$ 50 por criança ou adolescente entre 7 e 18 anos incompletos, gestantes e nutrizes que amamentam crianças de até sete anos. Semelhante ao Benefício Primeira Infância, esse benefício adicional também pode acumular, contribuindo para um aumento adicional na parcela total do Bolsa Família.

Outra mudança notável ocorreu na parcela regular do Bolsa Família. A nova regra de cálculo, implementada em junho, considera o valor de R$ 142 por pessoa da família. Essa abordagem visa garantir um repasse mais equitativo, levando em conta o tamanho da família. Famílias menores recebem R$ 600, enquanto famílias maiores podem receber quantias progressivamente maiores.

Vale destacar que esses valores se referem apenas à parcela regular do Bolsa Família. Quando os benefícios adicionais são considerados, o apoio financeiro pode ser ainda mais substancial, o que representa um esforço valioso para aliviar as pressões econômicas que muitas famílias enfrentam diariamente.

Em meio a um cenário econômico desafiador, as ampliações dos benefícios adicionais do Bolsa Família demonstram o comprometimento contínuo do governo em fornecer um suporte eficaz e abrangente para as famílias brasileiras que mais precisam. Essa medida busca não apenas reduzir a pobreza, mas também melhorar a qualidade de vida e abrir caminhos para um futuro mais estável e promissor.

Gostou da notícia?

Aproveite para participar do nosso grupo no whatsapp e receba notícias exclusivas diariamente. ENTRE NO GRUPO AQUI é grátis, e você recebe em primeira mão as nossas notícias!

Siga nosso perfil no Instagram: @mauriciosfreitas

Siga nossa página no Facebook: @mauriciosfreitas

Inscreva-se no nosso Canal no YouTube: @mauriciosfreita

- CONTEÚDO PROMOVIDO -
Portal Maurício Freitas
Portal Maurício Freitashttps://mauriciofreitas.com.br
Da redação do Portal Maurício Freitas. Uma Publicação da Maurício Freitas Comunicação Ltda E-mail: [email protected]

Veja mais