Balneário Camboriú inaugura UPA no bairro das Nações

Uma importante conquista para a saúde de Balneário Camboriú começa a funcionar a partir de segunda-feira (03): a Unidade de Pronto Atendimento 24hs Olávio Mafra Cardoso, no Bairro das Nações (UPA das Nações). A entrega à comunidade se dará às 19h.

“Estamos entregando à comunidade a tão esperada UPA das Nações com todas as adaptações necessárias feitas e agora devidamente aprovadas pela vigilância sanitária. Esta unidade é equipada para dar o melhor atendimento a população, 24 horas por dia, e se junta ao P.A da Barra no atendimento de urgência e emergência aos moradores de nossa cidade, turistas e de todos que a procurem.

Todos os graves problemas estruturais que havia na UPA foram resolvidos e a obra entregue tem alto padrão”, comentou o prefeito Fabrício Oliveira.

“Esta entrega deveria coincidir com a mudança do sistema de atendimento do Hospital Ruth Cardoso e com a abertura simultânea do P.A. do bairro Municípios, que está pronto, mas que só será aberto com a mudança do atendimento do Hospital Ruth Cardoso, de sistema porta aberta para o de atendimento referenciado.

Não fizemos esta mudança de sistema ainda por força de decisão judicial que estamos buscando derrubar para garantir ao Município implementar o novo sistema de atendimento anunciado desde o ano passado”, disse o prefeito.

Com 80 funcionários e capacidade para atender até 150 pacientes por dia a esperada UPA das Nações oferece exames de raio-x, eletrocardiograma e laboratório 24 horas.

A equipe de profissionais conta 2 médicos clínicos gerais por turno atendendo 24 horas por dia, assim como médico pediatra e enfermeiros no mesmo regime.

Serão 4 enfermeiros por turno e 8 técnicos de enfermagem durante o dia, e 7 à noite. O custo mensal da unidade será de aproximadamente R$ 900 mil.

O repasse do Governo Federal para o custeio da UPA 24hs das Nações, será de cerca de R$130 mil/mês. O restante será bancado pelo Fundo Municipal de Saúde.

Iniciada em 2013, a obra da UPA das Nações apresentou diversas irregularidades constatadas pela Vigilância Sanitária Estadual na fase de construção, o que impediu sua abertura ainda em 2016.

A unidade teve que ser totalmente reformada para se adaptar as normativas exigidas.

 

Comente com o Facebook